domingo, 13 de janeiro de 2008


MEU MELHOR POEMA: CARLOS GURGEL


Desde menino eu sou vidrado em poesia. Primeiro, eu ficava sentado, à tarde "na calçada da rua do meu avô", em Caraúbas e era aquele encantamento. As rolas cantando nas capoeiras de velame; o chocalho das vacas badalando nas várzeas e os aguapés desabrochando longe, nos açudes. Tenho medo que um dia, no futuro, os meninos não tenham mais essas coisas para se emocionar.
Depois, eu adorava ler os poemas dos livros escolars: Castro Alves, Casimiro de Abreu, Olavo Bilac.
Inspirado neles, comecei a escrever meus primeiros versos, tremendamente românticos. Mais tarde descobri a poesia moderna e, depois de alguma reação, concluí que a poesia havia mudado e grandes poetas, imensos poetas, existiam em todas as épocas, até mesmo entre aqueles que cantam as pedras perdidas do caminho. No meio desta evolução toda, me casei com a mulher com quem sonhara a vida inteira, Zoraide, que me deu nove filhos. Entre eles, Carlos Gurgel, que hoje lança um novo livro, Apaixonada Poesia Louca.
Neste livro, Carlos consegue ser ao mesmo tempo moderno e sentimental.
Peço licença a ele para divulgar aqui dois poemas do seu livro, que dão a exata dimensão do grande poeta que ele é:
1 - "No varal / fotos do passado / me deixam mais criança".
2 - "Partir / é como parar o coração / já tão nômade / Como o piscar / de uma luz norturna / de uma cidadezinha / do interior".
Parabéns Carlos! Eu tenho muito orgulho de voce!

DEÍFILO GURGEL

2 comentários:

Costa Branca Eco Resort disse...

Muito bonito mesmo. Fiquei emocionado. Abraços. Carito

zanony ybervylle disse...

É isso aí parceiro,gostei.