quarta-feira, 5 de março de 2008





no meio do seio
será que o toca-lo-ei?

do leite que espirra
pela extremidade sei lá

uma punção de orgasmos
se avultam ao meu ver

são como
grávidos
comestíveis

um farfalhar
de séquitos de salivas

uma longa espera
no pensar passando próximo aos meus tudos

como uma vontade daquelas

seios!

são tão sãos
adoro volvê-los
parecem camêlos
no meio do prado da minha boca

que passam a comê-los
nos níveis que o meu sacro instinto
comanda

e o entorno?
é demais para um pobre asceta

me calo no caldo do que eu rolo:
os seios de ludmilla
são tão quentes
assim como suas pernas
e tudo mais adistrigente.

Cgurgel

Um comentário:

Bel disse...

precisei copiar para o meu blog, é muito forte e sensual, não me contive. Parabéns e perdoe-me o atrevimento